DISFUNÇÃO ERÉTIL E DIABETES MELLITUS

DISFUNÇÃO ERÉTIL E DIABETES MELLITUS

A Disfunção erétil é a incapacidade de obter ou de manter uma ereção suficiente para a penetração peniana. A Disfunção Erétil (DE) é diferente de não se ter desejo sexual ou de se ter uma ejaculação precoce. Os homens com DE têm desejo sexual, mas são incapazes de obter ou manter a ereção.

Os homens com diabetes têm uma facilidade muito maior em desenvolver a DE que os homens sem essa doença. E eles desenvolvem a DE 5 a 10 anos mais cedo e de 25 a 75% mais do que um homem sem diabetes. De acordo com a Associação Americana de Diabetes, pelo menos a metade dos homens com mais de 50 anos que têm diabetes desenvolvem a DE. O risco aumenta dependendo há quantos anos o homem é portador de diabetes e de sua gravidade. Mesmo assim, a DE dos homens com diabetes pode ser bem controlada em quase todos os homens portadores da doença.

O QUE CAUSA A EREÇÃO NORMAL?

As ereções ocorrem como resultado de estimulações físicas e/ou psicológicas que fazem com que o sangue flua e preencha o tecido como esponja (chamado corpos cavernosos) do pênis. Há uma artéria que atravessa o centro de cada corpo cavernoso. Quando há a excitação, o corpo manda mensagens químicas (neurotransmissores) para o cérebro que avisam as células musculares lisas do corpo esponjoso para relaxar. Quando isso ocorre, o sangue fica preso aí pela camada externa dos corpos cavernosos (túnicas albugíneas) que faz com que ele não consiga sair e fique cheio de sangue, em ereção. Quando a excitação acaba, ou o homem tem orgasmo, as células do corpo cavernoso se contraem mandando o sangue embora e este fica novamente flácido.

PORQUE OS HOMENS COM DIABETES TÊM RISCO DE DISFUNÇÃO ERÉTIL?

Homens com diabetes têm três principais fatores de risco para ter DE. Primeiro, diabetes pode causar danos aos nervos (neuropatia) por todo o corpo, incluindo os nervos do seu pênis. As alterações dos nervos penianos pode interferir com a habilidade do seu corpo em mandar mensagens e recebê-las no pênis, que pode desenvolver uma DE.Em segundo lugar, diabetes pode agravar a condição conhecida como aterosclerose, na qual o sangue flui com dificuldade pelos vasos sanguíneos. O estreitamento desses vasos do pênis, que são bem mais finos do que aqueles ao redor do coração, faz com que ocorra uma dificuldade de entrada e saída do sangue do seu pênis, podendo causar DE. Finalmente, os homens diabéticos devem controlar a sua glicemia. Quando não está controlada, o seu corpo não produz suficiente óxido nítrico e os tecidos vasculares não respondem bem. O óxido nítrico (ON) é um neurotransmissor produzido pelo organismo, responsável por ajudar a comunicação de uma célula com a outra. O ON é um vaso-dilatador – que entre outras coisas, é o neurotransmissor primário da ereção. Se o organismo não produz ON suficiente, as veias do pênis não ficam comprimidas com pressão e o sangue sai rapidamente não havendo uma ereção forte. Além dessas causas, os homens com diabetes em geral têm outras condições associadas que com DE – incluindo hipertensão, obesidade e aumento de triglicérides e colesterol. Em geral os pacientes diabéticos têm mais de uma causa adjuvante que o faz desenvolver DE.

COMO TRATAR A DISFUNÇÃO ERÉTIL EM QUEM TEM DIABETES?

A primeira regra do tratamento da DE é estar com seu açúcar no sangue controlado. Seu médico, muito provavelmente, vai recomendar algumas mudanças no seu estilo de vida como, mudar sua dieta e aumentar sua atividade física.

TRATAMENTO: 1- Mudanças no estilo de vida: mudança da dieta, aumento da atividade física, perda de peso, parar de fumar. 2- Medicamentos: para diabetes, para outras doenças associadas, medicação pró-ereção (Levitra, Vivanza, Cialis, Viagra). 3- Outras opções de tratamento: terapia com injeção no pênis, uso de vácuo, terapia com hormônios androgênicos.

RESUMINDO

A Disfunção erétil não ocorre necessariamente em todos os homens que têm Diabetes mellitus. Manter a sua glicemia (açúcar no sangue) bem controlada e ter um estilo de vida saudável, pode ajudar a diminuir o risco de DE. Controlar outras doenças associadas como, doenças cardíacas e hipertensão, ajudará o paciente com diabetes a manter a função erétil. Mas, é muito importante que o homem consulte regularmente seu médico, mesmo que ainda não tenha sinais de DE.

Dra. Sylvia Faria Marzano – urologia e terapia sexual
Referência: Sexual Health & Medicine – Aug 2006 - SMS